1 de julho de 2018

[RESENHA] O DIÁRIO DE ANNE FRANK – ANNE FRANK


12 de junho de 1942 à 1º de agosto de 1944. Ao longo deste período, a jovem Anne Frank escreveu em seu diário toda a tensão que a família Frank sofreu durante a Segunda Guerra Mundial. Ao fim de longos dias de silêncio e medo aterrorizante, eles foram descobertos pelos nazistas e deportados para campos de concentração. Anne inicialmente foi para Auschwitz, e mais tarde para Bergen-Belsen. A força da narrativa de Anne, com impressionantes relatos das atrocidades e horrores cometidos contra os judeus, faz deste livro um precioso documento. Seu diário já foi traduzido para 67 línguas, e é um dos livros mais lidos do mundo. Ele destaca sentimentos, aflições e pequenas alegrias de uma vida incomum, problemas da transformação da menina em mulher, o despertar do amor, a fé inabalável na religião e, principalmente, revela a rara nobreza de um espírito amadurecido no sofrimento. Um retrato da menina por trás do mito.




Quem foi Anne Frank?

Anneliese Marie Frank, mais conhecida como Anne Frank, (Frankfurt, 12 de Junho de 1929 ? Bergen-Belsen, início de Março de 1945) foi uma adolescente alemã de origem judaica, que morreu aos 15 anos no campo de concentração nazista de Bergen Belsen, na Alemanha. Seu diário foi publicado pela primeira vez em 1947 e é atualmente um dos livros mais lidos em todo mundo.



Resenha:

Aos seus 13 anos Anne começa a escrever no seu diário, nessa época ela e sua família ainda não tinham fugido para um esconderijo, porém Hitler já estava no poder e estava agindo contra os judeus. Seus pais já previam que teriam que fugir e já estavam retirando suas coisas e mantimentos da casa aos poucos para que ninguém notasse, claro. Quando receberam uma carta que fez com que eles tivessem que apressar com a mudança, pegaram algumas coisas e saíram para o esconderijo que ficava no agora antigo trabalho de seu pai. A Anne descreveu tudo o que viveu lá, e as emoções que sentiu ao lado da sua família, de uma pequena janela ela conseguia ver o que aquela cidade havia se tornado, o que Hitler estava fazendo com aquelas pessoas e ela mal via a hora daquilo tudo acabar e eles poderem sair dali. Por mais que enfrentassem tão difícil situação, a sua vida não era muito diferente de outros jovens da sua idade, e nos seus desabafos podemos nos identificar claramente em suas palavras. O diário de Anne Frank, é um livro que emociona ao mesmo tempo que choca, choca pois nos coloca em frente a realidade, vemos que o que estamos a ler não se trata de uma ficção e sim de uma história real, de sofrimentos e angustias reais. É algo que nos traz muita revolta, que nos traz questionamentos de como alguém pode ter prazer em ferir o outro, em como a sede por poder pode passar por cima de tudo e todos, de como o que deveria ser amor se transforma em puro ódio.
O diário de Anne Frank é um livro que eu recomendo sempre, pois é uma história que todos devemos conhecer.

Observações finais:

A Anne e seu pai Otto Frank eram muito próximos e parecidos, foi quem mais a influenciou na leitura e escrita, porém tinha uma relação completamente contraria à que tinha com a sua mãe Edith Frank, na verdade nos vemos muitos desabafos referentes a Anne sentir uma certa rejeição de sua mãe. Ela achava que a sua irmã mais velha Margot Frank, era a preferida o que gerava muitos conflitos entre as duas, pois ambas tinham personalidades completamente diferentes.
O pai de Anne foi o único a sobreviver depois de serem levados os campos de concentração, e vendo que o diário da filha havia sido salvo, fez de tudo para que conseguisse publica-lo, conseguindo o livro se tornou um dos maiores sucessos editoriais de todo o mundo.

Capa:

A capa não é muito atrativa, não é aquela capa que nos desperta o grande interesse de conhecer o livro. Mas acredito que diante do que estar descrito ali, não há motivos para trazer alegria à aquela capa, sendo assim uma capa completamente simples.

Escrita:

Não tenho nada que me faça criticar a escrita, pelo contrário. O livro por mais que seja um diário de uma adolescente, foi muito bem escrito e podemos compreender claramente suas emoções, mas sem nos deixar esquecer que quem estar escrever é só uma menininha.

8 comentários:

  1. Menina, eu ganhei a versão definitiva sem cortes desse livro, é o diário completo. Confesso que me decepcionou um pouco, pois achei que teve MUITO drama adolescente. Mas vou tomar vergonha na cara e terminar o livro logo. Ótima resenha! Beijos

    http://www.apenasfugindo.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Porque é um diário de verdade e não um livro inventado. É a realidade que a Anne vivia então pode ser forçado as vezes é são as palavras dela a respeito a como ela se sentia naquele momento.

      Excluir
  2. Essa história é muito triste, eu vi o filme :'( geralmente o livro costuma ser melhor!

    ResponderExcluir
  3. Eu comprei esse livro e me emocionei demais lendo, só de imaginar o que essa menina passou é muito triste.

    ResponderExcluir
  4. thyfany sua resenha ficou simplesmente rica em detalhes, eu conheço e confesso que é uma historia muito chocante e reveladora

    ResponderExcluir
  5. esse é um ótimo livro, super comovente, eu li na adolescência e até gostaria de reler

    ResponderExcluir
  6. Essa história é muito emocionante, uma menina que sofreu muito, é um livro que comove quem ler, muito boa a sua resenha, bjs.

    ResponderExcluir
  7. Já senti vontade de ler confesso, mas ainda não me senti encorajada, só não sei o porque, já que o livro é bem recomendado. Mas com certeza ainda quero ler esse livro!

    ResponderExcluir